Passeando no palácio

julho 31, 2011 Helô Righetto 2 Comentários

Todo ano, durante o verão, o Palácio de Buckingham abre suas portas para nós, meros commoners, podermos apreciar a riqueza, luxo e glamour e termos certeza de que não somos parte da realeza.

Brincadeiras a parte, acho que vale a pena pra quem mora aqui ir lá dar uma xeretada pelo menos uma vez. O ingresso não é assim tão caro (£17,50 tem que comprar com antecedência) e dá pra ver muita coisa. Fora isso, esse ano tem uma parte dedicada ao casório de Príncipe William e da Kate Middleton, e o vestido dela está lá exposto. Achei lindíssimo de perto, fora que dá pra ver alguns detalhes (como a renda de flores) e saber do conceito por trás do design (no audio guide explica tudinho!!).

E, claro né, eles não deixam tirar foto lá dentro. Acho uma bobagem, mas fazer o que. Pelo menos, chegand nos jardins, as fotos são liberadas. E que jardins minha gente!!! Bem no coração de Londres, uma área verde daquelas...






Ah, e claro que as salas que vemos dentro do Palácio são apenas os State Rooms, ou seja, os lugares usados pela Rainha para receber visitar e realizar eventos. Sabem aquela foto do Royal Wedding, onde os dois posam com as damas de honra? Então, passamos por lá!


E o mais legal de tudo, é que o ingresso é válido por 1 ano: ou seja, ano que vem podemos voltar lá sem pagar um tostão a mais! Vale lembrar que ano que vem a Rainha Elizabeth completa 60 anos de trono (jubileu de diamantes) e certamente a exibição de verão do Palácio será muito especial! God Save the Queen

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Londoner

julho 28, 2011 Helô Righetto 26 Comentários

**com AINDA MAIS updates!!!**

A Amanda, minha amiga que mora em Paris, escreveu um post muito legal sobre "sintomas" que indicam que você está tornando-se parisiense. Muitas das coisas da lista dela casam com o que rola aqui em Londres também.

Volta e meia me pego fazendo algo que é coisa de londrino, então vou dar uma copiada básica em alguns ítens que a Amanda falou e colocar algumas outras coisas são mais daqui. Várias blogueiras que moram aqui já falaram sobre isso e sempre tive vontade, então essa foi a minha deixa!

Vale lembrar, como sempre, que pode ter gente que discorde totalmente de mim. Então comentem aí se quiserem complementar ou discordar de algo!

Você sabe que já mora em Londres há um certo tempo quando...

  • ouve alguém falando português e não puxa assunto
  • em conversas com as amigas brasileiras que moram aqui, inclui umas palavras em inglês
  • xinga quem fica parado no lado esquerdo da escada rolante e solta um "excuse me" muito do mal educado
  • xinga quem decide procurar o bilhete do metrô quando está bem na frente da catraca
  • xinga quem fica parado bem na entrada da plataforma do metrô
  • larga o jornal da manhã ou da tarde no banco do metrô/trem
  • pega o jornal da manhã/tarde que está largado no banco do metrô/trem
  • olha a capa das revistas de fofoca e quer matar a Cheryl Cole por voltar com ex marido
  • come pepino de manhã
  • come feijão de manhã
  • come cogumelos de manhã
  • quer morrer quando percebe que entrou no mesmo vagão de trem/metrô que a excursão de adolescentes italianos/espanhóis
  • não pegar o jornal antes de entrar no metrô, se arrepender e tentar ler o jornal do vizinho
  • ao invés de sentir compaixão pela pessoa que se suicidou no trilho do metrô/trem, achar que essa pessoa é uma tremenda egoísta, afinal deixa toda a linha com atraso
  • usar meia calça fina e sapatilha quando faz 10 graus la fora
  • nunca fazer as unhas, ou fazer você mesma, ficar bem meia boca e achar ok
  • almoçar sanduíche e saber de cor as opções do Pret a Manger
  • almoçar na mesa de trabalho mas sair as 5:30 (ou qualquer que seja seu horário) em ponto, raramente ficar até tarde
  • programar um pic nic no parque
  • ter um plano b para o pic nic, porque é claro que amanhã pode estar chovendo mesmo que hoje o dia esteja lindo
  • comprar ingressos para shows e exposições com meses e meses de antecedência
Tem mais algumas sugestões nos comentários! Algumas não coloquei aqui porque não fazem parte da minha rotina, tipo tomar chá com leite. E outras, como xingar o povo que anda devagar na rua, eu acho que já fazia parte da minha rotina em SP! 

Com certeza tem muito mais coisas, vou atualizar conforme for lembrando!

 

26 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Me fala onde tá o glamour que eu vou lá procurar

julho 26, 2011 Helô Righetto 7 Comentários

Então que a gente precisou fazer uma mega reportagem sobre tendências de acessórios para pets. E né, já que somos um site que fala sobre tendências de design e interiores, eu e as colegas começamos a procurar coisas que se relacionavam com o assunto: como as caminhas e brinquedinhos de cachorro estão mais bacaninhas para não destoar com  a decoração e tals.

Mas aí a chefa queria mais (é redudante essa afirmação?) e pediu para aumentarmos o leque de produtos e de bichinhos: aquários, galinheiros urbanos (aqui está super em alta criar as prórpias galinhas no quintal de casa), gaiolas e alimentadores de pássaros.

Mas aí a chefa queria mais: vamos falar também sobre coleiras, aplicativos para iPad e smartphones, roupinhas de cachorro, bolsas para carregar os bichinhos nas viagens.

Pois é, a pessoa aqui fala que é jornalista de design e todo mundo acha chique né? Pois bem, posso contar a ultima modificação que a chefe pediu?

"we have to write something about POOP MANAGEMENT"

Não vou nem traduzir essa.

7 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Leitura: Sunset Park, Paul Auster

julho 25, 2011 Helô Righetto 2 Comentários

Esse é um post muito suspeito, porque já disse muitas vezes e repito que Paul Auster é meu escritor favorito! Ainda tenho vários livros dele pra ler, mas como geralmente sao histórias intensas, prefiro fazer um intervalo entre um e outro.

Mas enfim, tanto esse quanto o último que eu havia lido dele (Invisible) sao meus preferidos até agora. Apesar de ainda terem aquela linguagem inconfudível dele, as histórias sao mais concisas, sem tantas coisas paralelas que as vezes fazem o leitor pirar um pouco.

As frases e parágrafos longuíssimos continuam lá, e os devaneios dos personagens também. Mas a linha de pensamento é bem mais clara, e dessa vez acho que até teve um fim! Pois é, nao fiquei sentindo aquela coisa típica dos livros deles: como assim acabou?? e o final é bacana, pois é cheio de adrenalina.

Outro ponto alto é que tudo se passa em 2008/2009, ou seja, é uma história contemporanea, que trata de temas comuns para nós ( a crise está lá!). Ah, e claro, se passa em Nova Iorque!

Preciso confessar que ler Paul Auster em ingles faz toda diferenca (os primeiros que li dele foram em portugues, e apesar de as traducoes serem ótimas, acho que se voce tem a chance de ler o original, go for it!!)

ps.: para quem quiser comecar a ler Paul Auster, acho legal tentar Noites do Oráculo e Desvarios no Brooklin primeiro!

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

O que você fez ontem a tarde?

julho 22, 2011 Helô Righetto 8 Comentários

Ontem tive uma tarde meio esquisita. Fui em um press preview, da coleção de Natal da Selfridges. Ok, até aí normal, mas nós sabíamos que no mesmo dia estaria rolando outro evento para imprensa, também na Selfridges, mas no terraço. Nós não sabemos muito bem porque recebemos convite para esse evento em particular (que era um lançamento de adoçante), mas né, parecia interessante, afinal que outra oportunidade a gente teria de subir até lá?

Não sei porque cargas d'água eles acharam que montar um laguinho artificial, com cachoeira e tudo, seria assim a ação ideal para promover o produto, mas eu adorei e me diverti horrores.

Chegamos lá no topo do prédio e demos de cara com esse cenário:



Preciso falar que entrar no barquinho já foi comédia? E essa água verde fosforecente?


Detalhe que a gente tinha que colocar uma capa de chuva, para passar por baixo dessa mini queda d'água. Olha, e descobri que remar em dupla, mesmo com esse remo ridículo de pequeno, é muito difícil. Eu e minha dupla ficávamos "andando" em círculos, o que me fazia rir ainda mais.

Fiz um videozinho filmando as duas meninas que estavam atrás da gente (a que fala com a câmera é amiga do trabalho, estávamos em três), dá pra ter uma ideia melhor da esquisitice da situação:


Passando pela cachoeira, esse moço simpático nos recebia, e nos ofereceu umas folhas para comer. Então lá está você, no terraço de uma das lojas mais famosas de Londres ((que foi aberto pela primeira vez desde a segunda guerra), em um barco num lago artificial, comendo uma folha tão doce quanto açúcar (o adoçante em questão é feito a base dessa planta).



E foi assim minha tarde de quinta feira.

Tem coisas que só um press pass faz por você.



Em tempo: ganhei uma planta com a tal da folha, quem quiser experimentar só passar aqui em casa : )

8 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

I'm really sorry to bother you with this...

julho 21, 2011 Helô Righetto 2 Comentários

Entao que ultimamente na minha vida trabalhística tenho tentado ser menos boazinha. Pois é, meu nome é Heloisa, tenho 31 anos e admito que tento agradar todo mundo ao meu redor. Cansei!

Sei que é meio ridículo falar "é que eu li esse artigo em uma revista..." mas foi bem assim que eu vi a luz. Nessa matéria, basicamente a mulher contava que sempre era cheia de dedos nos emails e no tete a tete, e que percebeu que todo mundo meio que se aproveitava da disponibilidade dela, e que isso nao a ajudou em nada na carreira.

Bingo! Euzinha da Silva faco a mesma coisa, e acho que quando comecei a trabalhar aqui do outro lado do laguinho piorei!

Entao que a primeira coisa que fiz foi escrever meus emails de forma menos amigável (nao consegui achar outra palavra, nao sei se amigável é a melhor opcao aqui), tirando os diversos "sorry", "it would be lovely if you could do this", "thank you so much" e por aí vai. Vejam bem, nao estou falando de ser educada, o essencial continua, por favor e obrigada sao intrínsecos, mas sem exageros.

Afinal, se estou pedindo pra alguém nao fazer nada além do que essa pessoa tem que fazer, nao devo pedir desculpas por isso, certo?

Percebi que as coisas andam mais rápido se eu sou mais curta e grossa, do que super explicativa e gente fina. Lembro muito, mas muito bem, de uma das avaliacoes que tive com o meu ex chefe, e ele me disse que tinha uma teoria: existem pessoas que trabalham com o carrinho de mao pra cima - ou seja, topando ajudar todo mundo, sem se fechar apenas nas suas obrigacoes - e as que andam com o carrinho de mao pra baixo. Eu, claro, me encaixo na primeira opcao, disse ele, em tom de elogio, falando que estava feliz com o meu desempenho.

Entao queria avisar que to comecando a virar meu carrinho. Pelo menos uns 90 graus.

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Blogagem coletiva: umas tanto, outras nada

julho 19, 2011 Helô Righetto 17 Comentários

Semanas atrás, numa tweeting conversation entre a Cláudia, Natalie, Carina, Patricia, Carmem e  Marcie, surgiu a ideia de listar os lugares que cada uma considerava "viu-tá-visto". Aí a conversa evoluiu e dedidiram fazer também uma segunda lista - com cidades ou países para onde voltariam sempre. Como a idéia parecia boa, uma comentou aqui, outra comentou ali… no fim,  a notícia se espalhou e conquistou dezenas de adeptos. Diante disso, decidiu-se fazer uma blogagem coletiva. 

Entao, conforme falei no post abaixo, minha lista de lugares visitados é super pequena (tipo, a quantidade de lugares que os demais blogueiros participantes recomendam nas listas deles é maior do que a minha lista geral!!), e pra ser bem honesta fico me sentindo culpada de falar meio mal de algum lugar! Acho que todas as cidades tem seu charmem sua história e seus costumes, entao essa escolha é muito pessoal mesmo! 

Mas vamos lá, ajoelhou tem que rezar, e eu vou comecar com as duas cidades que nao me impressionaram, mas que ironicamente eu devo voltar muito em breve, pois estao relacionadas com o meu trabalho:

 - Rimini: essa cidade litoranea na costa italiana do Mar Adriático é esquisita pra cacete. parece meio fake, e se nao fossem as diversas referencias ao cineasta Federico Fellini (nascido lá), e um ou outro monumento histórico, voce poderia jurar que estava em alguma praia paulistana do estilo da Riviera (nao é muito o tipo de praia que eu gosto). 

ponte Tibério, Rimini

- Bolonha: pois é, Itália de novo! Fui pra Bolonha passar pouquíssimo tempo, mas tinha altas expectativas. Visitei os principais pontos turísticos da cidade no mesmo dia que cheguei, pois trabalharia o dia seguinte. Fiquei decepcionada com o transito caótico, o descuido e a sujeira. Parece que o charme de Bolonha está escondido sob uma camada de pó e pichacao. Meio triste.


bolonha
Posso falar que voltaria para todas as outras cidades que visitei, o que é verdade, mas vou tentar fugir das que sao mais conhecidas (tipo Roma e Madri). Entao, se eu pudesse, eu iria todo fim de semana para:

 - Bath: nao sei descrever Bath, acho que nada do que eu fale seja justo o suficiente para descrever essa cidade que fica a poucas horas de Londres. Já estive lá duas vezes e pretendo voltar muitas outras. Ok, os banhos romanos sao legais, mas nao foi isso que me conquistou. O que prendeu meu olhar foram as fachadas das casas todas da mesma cor, a animacao que rola ali no centrinho, o conjunto, a história do lugar. Fascinannte! Vem pra Londres? Tente tirar um dia para ir até Bath!


Bath
- Albufeira: o sul de Portugal foi o destino escolhido por mim e pelo Martin para passarmos nossas primeiras férias de verao no estilo europeu. A gente queria praia, piscina, hotel bacana, frutos do mar, passeio de barco e pra fechar uma paisagem extraordinária. Entao, a regiao do Algarve preencheu todos esses requisitos e lá fomos nós. Ficamos hospedados na cidade de Albufeira mas passeamos muito pela regiao, e eu voltaria assim, sem pensar. Muita gente acha que o Algarve é o maior clichezao, mas voces nao tem ideia da beleza do lugar. vale a pena misturar-se a horda de turistas!!

curtindo a vida no Algarve
 e aqui, todo mundo que postou sobre o tema:
http://luciana.misura.org/  

17 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Nao sou entendida, mas escrevo mesmo assim

julho 18, 2011 Helô Righetto 3 Comentários

O mundo dos blogs é muito, muito grande. Uma vez que voce comeca a ler um, é levado a outro e outro e outro... e quando voce escreve um blog entao? Faz amizade com um pessoal que mora em outros países, outros continentes, e quando voce se dá conta virou amigo de infancia de alguém que nunca viu ao vivo!

O twitter está aí para facilitar ainda mais essa comunicacao entre a blogosfera, e volta e meia o pessoal se organiza para fazer blogagens coletivas: a ideia é postar algo sobre um determinado tema no mesmo dia! Eu nunca tinha participado, mas dessa vez o assunto é pra lá de interessante e como voces perceberam eu ando meio monótona/sem assunto, entao decidi fazer parte da turma que amanha vai postar sobre o tema "cidades que valem a pena ir mais de uma vex X cidades que merecem apenas uma visita".

E voce aí pensa: mas o que eu tenho a oferecer quando o assunto é viagem, certo? Afinal, a rede de blogueiros viajantes é imensa e a lista de lugares visitados por eles de fazer inveja. Tudo bem, marido e eu damos uns pulinhos por aí, mas falta a gente comer muito feijao para deixar nosso mapa cheio de marcas de "lugares visistados"

Fiquei intimidada quando vi a lista de participantes, mas né, acho que a opiniao de uma viajante ocasional também é válida! Talvez até a falta de experiencia no assunto seja interessante, já que a turma dos viajantes ocasionais nao pode por a perder o rico dinheirinho e as tao sonhadas férias! : )

Entao amanha vou contar aqui sobre que cidade (sim, só uma) eu nao voltaria e que cidade eu iria todo final de semana se pudesse!!

3 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Romeu & Julieta

julho 15, 2011 Helô Righetto 1 Comentários

Depois que me mudei para Londres meu repertório de ballets assistidos aumentou consideravelmente. Felizmente temos aqui muitas opções, não apenas dos ballets locais mas também companias de todo mundo que passam na cidade e apresentam espetáculos especialíssimos.

Essa semana rolou um double date e fomos eu, Martin, Col e Rodrigo assistir Romeu e Julieta no London Coliseum. Vale lembrar que o ballet foi o responsável pelo fatídico email que eu recebi de uma mocinha em junho de 2009: ela estava se mudando para cá e queria dicas minhas sobre onde fazer aula (por favor reparem que no post ela me chama de anjo de candura). Pois é, se eu soubesse não teria respondido email (Rá, brincadeira Col!). Então nada mais bacana do que fazermos de uma das nossas paixões em comum um programa animado de terça feira a noite.




(desculpem as fotos toscas tirada com o celular)

Era uma apresentação especial beneficente, então tinha bailarinos de Copenhague, Londres e Moscou. Admito que o motivo principal de termos escolhido esse dia foi que Ivan Vasiliev faria o papel principal (Dããã Romeu), e contei aqui como foi que nós nos apaixonamos pelo Ivan (amiiiiigo) ano passado.

O que a gente não sabia é que essa coreografia de Romeu & Julieta não era a coreografia tradicional. Apesar de ser executada em ballet clássico, era uma coisa meio muderrrna demais pro meu gosto: cenário minimalista, muita atuação misturada a dança. Mas fica aí um motivo pra gente ver de novo! Ah, Ivanzinho não decepcionou e pulo alto, muito alto!!

até na foto tosca dá pra ver a coxa descomunal do Ivanzinho
Aqui, uma das cenas que eu mais gostei, o pas de trois masculino:



E aqui, a maravilhosa música, que certamente vocês vão reconhecer, mesmo que não gostem de música clássica.

1 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

O maravilhoso mundo dos jabás

julho 14, 2011 Helô Righetto 7 Comentários

Quem não gosta de um brinde que atire a primeira pedra! Incrível como a gente é facilmente seduzido por uma sacola de pano ou um bloquinho de anotações, então admito sem a menor vergonha na cara que a melhor coisa de ir em um press preview é a famosa goodie bag.

Apesar de a maioria do meu trabalho ser em conexão com o Brasil, eu nunca fui em nenhum desses eventos lá (lembrem-se que a carreira jornalística começou aqui!), então não sei se é exatamente a mesma coisa. Mas funciona assim: as lojas lançam coleções novas e chamam a imprensa antes para ver o que estará nas prateleiras apenas daqui há alguns meses.

Então, as assessorias de imprensa preparam uns eventinhos bacanas. Na pior das hipóteses, você toma uma café e ganha uma sacola. Mas tem press preview que é disputado a tapa, cheio de comida e bebida e com uma goodie bag recheada de presentes legais. Claro, no fundo no fundo tudo não passa de um suborninho básico para o jornalista escrever uma matéria sobre a nova coleção. Pelo visto a coisa funciona e assim caminha a humanidade.

Semana passada encontrei as amigas e distribuí entre elas alguns jabázinhos que ganhei na Paperchase. E hoje voltei pra casa com as mãos carregadas novamente: tive press preview da Lombok, Divertimenti e B&Q. Tirei foto de algumas coisas que ganhei, pra vocês verem que não é assim uma Brastemp mas é bacaninha (como essa é a época do lançamento das linhas de Natal, ganhei vários enfeites):

enfeite de natal tão bonitinho que já tem lugar permanente aqui em casa
urso polar para colocar na árvore, estou apaixonada
vela mega cheirosa
enfeite de natal brega mas eu amei. adoro brega, vocês sabem
mini bolinhas de natal
mais uma vela!!!
outro enfeite de natal que ganhou lugar permanente na decoração!

7 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Leitura: Journey to the Centre of the Earth, Jules Verne

julho 13, 2011 Helô Righetto 0 Comentários

Já há bastante tempo eu queria retomar a leitura dos clássicos, que ficou parada láááááá no vestibular. Mas, antes tarde do que nunca. E finalmente tive o incentivo necessário: uma promoção que oferecia 3 clássicos por 5 libras. Gastei 10 libras, então preparem-se porque muitos clássicos vão aparecer aqui nos próximos meses. Tentarei intercalar, porque também não aguento tanto inglês formal de uma vez só!

Comecei pelo livro que eu achava que acharia mais chato e, surpresa! Adorei o Journey to the Centre of the Earth! Bom, não tenho muito o que explicar não é mesmo, o título é bem objetivo. Apesar de alguns parágrafos onde eles divagam sobre mineralogia e geologia, o texto é gostoso e você meio que imagina as paisagens que eles encontram quando partem para uma expedição por dentro de um vulcão na Islândia.


Não recomendo ler em inglês se você não está acostumado! Por mais que seja uma história de ficção científica, não deixa de ser formal.

0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

A meta: 6 meses e o meu aniversário

julho 10, 2011 Helô Righetto 6 Comentários

Pois é, e não é que cheguei a metade do ano cumprindo a minha meta? Sei que esse é um comentário super #classemediasofre mas para uma consumista voraz como eu ter passado 6 meses sem gastar um tostão na Zara ou qualquer outra loja, é uma conquista e tanto!

Mas tenho que confessar que estava muito ansiosa para a chegada do meu aniversário. Posso dizer que tive um aniversário estratégico, já que cai bem no meio do ano e consequentemente, no meio da minha meta. Ganhar uns presentes foi bom demais e esses dias estou toda feliz e contente usando umas roupinhas novas.




Agora, mais 6 meses pela frente, e nesse meio tempo teremos a ida a São Paulo e Buenos Aires, talvez será a parte mais difícil da meta!

E estou pensando em fazer um adendo a meta, e copiar a Nadja, que foi quem lançou a ideia antes e me inspirou: incluir na lista de "não compráveis" toda e qualquer coisa de usar no corpo, ou seja, brincos, colares, pulseiras, lenços e afins. Será que consigo?

6 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Derren Brown

julho 07, 2011 Helô Righetto 0 Comentários

Na segunda feira (dia do meu aniversário, aliás) eu e o Martin assistimos o espetáculo Svengali, do Derren Brow. Quem é ele? Muito difícil explicar (até tentei achar algum vídeo mas só achei uns muito antigos), mas assim por cima dá pra dizer que ele mistura mágica, ilusionismo, psicologia e muita manipulação.

Derren Brown é conhecido por deixar o público boquiaberto, pois entre outras coisas ele "prevê" acontecimentos e "lê" nossos pensamentos. Mas o melhor de tudo isso é que ele é totalmente cético: não acredita em médiuns (tá certa essa palava?) e ainda por cima é ateu e não crê em nenhuma religião. O negócio dele é ler as pessoas através de suas expressões, seus movimentos, a maneira que nos vestimos, andamos, falamos. Além disso, ele também diz que todos nós somos altamente sugestionáveis e previsíveis, por isso ele consegue manipular (usando muita mensagem subliminar e coisas do tipo) as pessoas a fazerem o que ele "previu" e assim conseguiu conquistar uma legião de fãs.

Eu o Martin sempre assistimos os especiais dele na TV, e sempre ficamos super impressionados. Então decidimos comprar ingressos para vê-lo ao vivo: os espetáculos são seu forte, e o bacana é que ele dá um jeito de toda plateia participar.

Svengali foi bem assim, e saímos de lá ainda mais impressionados com o poder de percepção e manipulação do cara. Não vou contar aqui o que acontece (ele pode pra manter o segredo), mas quem já viu os programas de TV pode esperar aquelas coisas clássicas, como por exemplo adivinhar segredos embaraçosos de várias pessoas da plateia.

Eu queria muito ter sido uma das pessoas chamadas no palco, porque a gente sempre fica com aquela pulga atrás da orelha pensando "ah, se fosse eu ele não ia descobrir!", então já falei para o Martin que a próxima vez que ele montar um espetáculo, quero ir de novo!

0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

5km e £505

julho 05, 2011 Helô Righetto 2 Comentários

Finalmente chegou o dia de correr os 5km da Race for Life, pelo terceiro ano consecutivo! Eu e a Lelei nos inscrevemos no percurso de Blackheath, que é um bairro vizinho ao meu. Apesar de eu estar treinadinha e preparada, foi mais difícil do que eu esperava, pois estava muito calor e o trajeto não tinha nem uma sombrinha.

Eu costumo correr no fim do dia, e mesmo que esteja quente, não é a mesma coisa de correr as 10 da manhã! Engraçado como qualquer detalhe faz uma grande diferença! Mas o importante é que corri todos os 5km e cheguei bem no final, assim como a Lelei.

A boa notícia é que juntas conseguimos arrecadar 505 libras, ou seja, 5 libras a mais do que a meta inicial! O site para doações fica aberto mais alguns dias, se ainda tiver algum retardatário querendo abrir a mão : )

Aproveito para mais uma vez agradecer todo mundo que teve a paciência de jó de entrar lá no site e doar. E também todos que me ajudaram a divulgar no twitter, facebook e blogs! 505 libras não é pouca porcaria não! A gente ajudou muito o Cancer Research UK e gosto de pensar que fizemos isso em grupo! Tanta gente participou, que o site até ficou bonito com os recados de vocês!






Algumas fotos do grande dia, para provar que fez muito sol sim!!!

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Filha, saí no jornal!

julho 02, 2011 Helô Righetto 2 Comentários

Eu sou fã dos meus pais! E agora aposto que eles tem mais fãs também: coloquei eles em contato com uma repórter do IG que precisava de pessoas que tivessem feito tatuagem após os 40. E hoje cedo a matéria foi pro ar com Aurelio e Isa como destaques!

não achei que o véio saiu bem na foto, mas em compensação...

...a véia saiu lindona!!! Mostrando ombrinho e tudo, super sexy!
Porque minha irmã pode ser a preferida (piada interna pessoal!) mas fui eu quem levei eles para o mau caminho, ahahahaha!

Brincadeiras  a parte, acho admirável como eles mudaram e tornaram-se mais flexíveis com o passar dos anos. Lembro bem que quando eu era pequena e até já mais velha, adolescente, eu os achava os pais mais rígidos entre meu grupo de amigos. Mas hoje eles estão no extremo oposto: são os pais mais cabeça aberta que conheço! Que bom né? Sorte minha e da minha irmã que podemos também ficar mais velhas e tê-los como nossos melhores amigos!

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta