Exposição: Turner Inspired - In The Light of Claude

abril 30, 2012 Helô Righetto 1 Comentários

Sábado foi um dia cultural - ignoramos a chuva a partimos pra National Gallery para ver a exposição do Turner, que está em cartaz até 5 de junho na ala paga do museu (no mesmo lugar que foi a expo do Da Vinci).

Como diz o nome, a exposição coloca lado a lado obras de dois artistas: Claude Le Lorrain (nome de batismo Claude Gellée) e Joseph Mallord William Turner. O objetivo é mostrar como Turner foi influenciado por Claude (morto quase um século antes de Turner nascer), e, mesmo pra mim que pouco sabia da obra desses dois, fica bem fácil identificar e relacionar estilos e obras.

Turner admirava tanto o trabalho de Claude que expressou em seu testamento o desejo de ter duas de suas telas expostas juntamente com duas telas de Claude na National Gallery - é possível vê-las na sala 15 do museu (no momento estão nessa exposição, claro).

Fica aqui o meu comentário leigo: fiquei impressionada com a luz das telas. Tanto nas executadas por Claude como nas por Turner, é impressionante a representação da luz natural (já que todos os quadros são paisagens). Aqui algumas imagens que busquei na internet, dá pra ter uma boa ideia do conteúdo da  exposição:

Claude, "Landscape with the father of Psyche sacrificing to Apollo"
Turner, "Dido building Carthage"
Turner, "Sun rising through vapour fishermen cleaning and selling fish"
Turner, "The decline of the carthaginian empire"
A segunda parada de sábado foi na Courtauld Gallery - próximo post será nesse estilo aqui!

1 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Leitura: How to be a Woman, Caitlin Moran

abril 28, 2012 Helô Righetto 4 Comentários

Concordo com o que a minha amiga me disse quando me deu esse livro: toda mulher precisa ler. Aliás, eu acho mesmo é que todo homem tinha que ler também. Finalmente alguém colocou no papel o que é o feminismo de forma simples, real, relacionando temas ao mesmo tempo corriqueiros e importantes com exemplos pessoais, com os quais todo mundo pode se relacionar.

É um livro engraçado, a Caitlin esmiuça suas próprias experiências para provar o quanto ainda precisamos evoluir na questão da desigualdade entre homens e mulheres. Ela ensina como identificar sexismo (que família nunca teve as mulheres lavando a louça do almoço de natal e os homens tomando cerveja?) e como saber se você é feminista (do you have a vagina? do you want to be in charge of it? simples assim). De depilação a casamento, de strip tease a aborto, ela faz a gente rever nossos conceitos: quase todas as passagens me davam aquela vontade de gritar "siiiiim, isso já conteceu comigo!!" o que me leva a pensar que, se mais e mais mulheres lessem o livro, a gente daria um importante passo pra frente.

Mas, como eu sou chata pra caramba, preciso também apontar porque eu não amei o livro. Pois é: admito que ele é essencial, mas olha, acho que poderia ter metade das páginas que tem. Em absolutamente TODOS os capítulos é possível compreender o argumento e o ponto de vista da Caitlin Moran já nos primeiros parágrafos. Mas ela se empolga muito, fala, fala, falaZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz, conta mais um pouco da sua história pessoalZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz. Enfim. Ok Caitlin, já entendi o quanto você é cool. Passa pro próximo capítulo, por favor!

Ah, outra coisa (não é uma crítica, apenas uma observação): não é fácil ler o livro se você não mora na Inglaterra. Não estou falando de ter inglês fluente, mas de sacar os sarcasmos e a linguagem mega master blaster informal. Juro, acho mais fácil ler Jane Austen. Fiquei até pensando se seria possível traduzir e cheguei a conclusão de que não: traduzido, vai perder sua essência. 


Patriarcado, tremei!

4 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Assim caminha a humanidade - de novo!

abril 26, 2012 Helô Righetto 1 Comentários

Umas das poucas coisas ruins de morar em Londres é ter que, volta e meia, dizer tchau.

Eu lembro que, quando me mudei pra cá, estava tão animada e empolgada com a vida nova que a tristeza da despedida acabou não doendo muito. Agora eu entendo mais como é ver uma pessoa muito querida partir pra uma nova aventura - cheguei a conclusão de que quem fica tem mais tempo pra remoer a saudade.

Quando eu comecei a ler o blog da Fávia, ela morava em Washington DC e eu em São Paulo. E acabamos em Londres, onde ficamos muito amigas. A filhota dela virou a mascote do nosso grupinho e ela, como única mãe da turma, sempre aguentou com paciência nossas divagações sobre o assunto.

Mas, como tudo tem suas vantagens, até pra quem fica, a mudança fez a Flá se empolgar novamente com o mundo virtual e criar um novo blog  - mais um para os meus favoritos!

Beijo, Flá! Boa viagem e boa nova vida!!

(Foto postada originalmente nesse post aqui)

ps: espero que eu demore muuuuito pra escrever mais um post com esse título -  o primeiro foi esse aqui.

1 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Semana em imagens

abril 21, 2012 Helô Righetto 3 Comentários

Ok, tá repetitivo ficar falando de Milão. Mas se a semana foi lá, não tem como escapar né?

O primeiro dia da feira -  a turma que não se cadastrou antes tem que enfrentar essa fila!
Uma nova proposta de escrivaninha. Gostei!
Um mega sofá? Uma instalação? 
Sem sombra de dúvida o que mais gostei de ver em Milão esse ano. Luminária pendente que faz bolhas - ou seja, design que muda, design "vivo"!
Se eu pudesse teria uma parede assim.
É por essas e outras que eu sou fã de um  bom design de luminária.

Fofo o bezerrinho aramado.

Milkshake merecido sexta a feira a noite com a colega do escritório de NY.

3 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Nós conquistamos Milão

abril 20, 2012 Helô Righetto 1 Comentários

Esse foi o terceiro ano que cobri o Salone Internazionale del Mobile, mas com certeza foi o mais marcante: não apenas por causa da hospedagem inesquecível, mas pela cobertura - modéstia a parte - profissa que a gente fez. Dessa vez estávamos muito mais preparadas e organizadas, e o resultado já está aparecendo: conseguimos publicar a primeira galeria de imagens no site (pode não parecer, mas subir 1000 imagens com os devidos créditos e organizadas por categorias é um trabalho da porra) hoje, dois dias antes da feira acabar!

Aqui uma foto nossa, já no aeroporto de Malpensa em Milão ansiosas pra voltar pra casa: acabadíssimas, mas com aquela sensação de missão cumprida.


Quem que disse mesmo que mulher não trabalha bem em grupo?

Pra quem gosta do assunto, no blog do trabalho (o site oficial é fechado pra assinantes) várias atualizações enquanto estávamos lá ==> http://wgsn-hbl.blogspot.co.uk/search/label/Milan%202012

Tchau Milão, até 2013!

1 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

A fórmula do glamour

abril 17, 2012 Helô Righetto 8 Comentários

(Evento mais importante do ano na minha área + cobertura abrangente +  toda a equipe viajando pra Milão) x orçamento minúsculo.

IGUAL A...


Essa foto foi tirada minutos depois da nossa chegada, no domingo. Imaginem como tá hoje. prometo nao postar foto do banheiro.

Agora não apenas somos amigas do trabalho, mas também sabemos a cor das calcinhas umas das outras. Um luxo.

8 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Semana em imagens

abril 15, 2012 Helô Righetto 2 Comentários

Semana curta (afinal foi feriado aqui pra gente na segunda feira), mas que passou devagar quase parando. No trabalho, esses quatro dias foram focados na preparação pra semana que vem, que é a mais importante do meu setor: semana do design em Milão - o que inclui o Salão Internacional do Móvel e todos os eventos off Salão.

Desde o mês passado recebemos, literalmente, centenas de convites e emails com press releases. Parece tudo muito glamouroso, eu sei, mas pra gente (eu e as 4 colegas de trabalho indo pra lá) é como se preparar pra uma mistura de batalha com maratona.


Tem que ser tudo milimetricamente organizado, dividido, separado. Quem vai onde, quem cobre o que, quem entrevista quem. Só Google Maps e planilhas do excel salvam.


Pra não dizer que não aconteceu nada fora do trabalho, finalmente chegaram as banquetas que comprei há mais de um mês pro balcão que divide a sala e a cozinha!


E, last but not least, o sábado foi dedicado a ela. Passamos o dia em Bath, mas deixo pra ela explicar o porque - e o porque da máscara da Lady Gaga.

 
Boa semana!

2 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Dorset coast: Poole

abril 11, 2012 Helô Righetto 0 Comentários

Reservamos um dia pra conhecer Poole, cidade vizinha de Bournemouth, que, apesar de estar na costa, não tem praia. Mas tem marina. E se tem marina, tem passeio de barco!

Fizemos um "cruise" de uma hora, que passou por alguns ícones da Jurassic Coast, como a Brownsea Island e as formações rochosas apelidadas de Old Harry Rocks. Mesmo com o tempo nublado, o visual é muito bonito! 




 




A cidade é pequena, dá pra visitar em menos de um dia. Mas a gente não tinha pressa, exploramos todo o entorno da marina, almoçamos super bem em um dos pubs  - aliás eu comi uma porção deliciosa de mariscos, de competir com os que comi na Bélgica! - visitamos o Poole Museum (entrada gratuita) e sentamos pra tomar um café, ver a vida passar e tentar adivinhar se o iate milionário que estava estacionado ali pertencia ao Neymar. 

    




 


0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Dorset coast: Bournemouth

abril 09, 2012 Helô Righetto 13 Comentários

Viajar pela Inglaterra é bom demais. É fácil, relativamente barato e o leque de opções é imenso. Digo relativamente barato porque a passagem de trem precisa ser comprada com antecedência - deixando pra última hora pode sair mais caro do que comprar um vôo para Amsterdã ou Milão, por exemplo.

Escolhemos ir pra Bournemouth meio que do nada, assistindo um programa na tv, um reality show sobre hoteis. Gostei do que vi, gastei uns minutos no google pra confirmar se era bacana mesmo e em menos de uma hora os tickets de trem e o hotel estavam reservados. E assim, finalmente, "fomos para praia" na Inglaterra pela primeira vez.




E não decepcionou. A costa de Dorset, também conhecida como Jurassic Coast, tem paisagens de cartão postal (me lembrou um pouco a geografia do Algarve, por causa dos penhascos e formações rochosas). E o que mais gostei é que o pessoal curte a praia independente do clima, afinal como diz o ditado quem não tem cão caça com gato. Não tá quente pra ficar de biquini? Deita-se na areia de calça jeans. A criançada faz castelo e cava buracos do mesmo jeito, sabem aproveitar o que está a disposição. Tem vôlei de praia, tem restaurante  de frutos do mar, tem loja de surf. E tem também as fofíssimas "beach huts", as cabanas coloridas enfileiradas no calçadão. É o jeito deles de tirar o máximo de proveito, faça chuva, faça sol, com vento ou sem vento (não tirei foto das beach huts que estavam em uso por razões óbvias!)




             




Afinal, nada melhor do que passar a tarde na sua cabana equipada com armários, fogão e cadeiras. É um qg, um ponto de encontro: ali vai ter sempre um chá e um sanduba. A gente acha que o Brasil é o país da farofa? Meus amigos, farofa profissa é farofa inglesa!

A estrutura da praia é excelente, tem banheiros (limpos) ao longo de todo "promenade", placas informativas, salva vidas, cafés, barraquinhas de sorvete e, como já falei, restaurantes. Tiro meu chapéu pra praia inglesa!

                   





Fica aqui o registro da primeira vez que toquei as águas do Canal da Mancha (temperatura da água no momento da foto: 9 graus)

Fomos também para Poole, cidade vizinha. Assunto pro próximo post!

13 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Por onde andei

abril 08, 2012 Helô Righetto 0 Comentários

Postando do celular enquanto espero o trem pra voltar pra Londres.





0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta