Pandemia

março 23, 2020 Helô Righetto 0 Comentários


Não dava pra passar por uma pandemia sem registrar nesse blog. Fico pensando se as pessoas no futuro vão estudar 2020 como a gente estudou os anos da peste bubônica (século 14). Infelizmente não é nesse blog que as pessoas do futuro acharão alguma informação útil.

Aqui nesse blog as pessoas só vão saber que eu e o Martin estamos trabalhando de casa (desde que voltamos de férias do Brasil dia 19/3), que transformamos nossa mesa de jantar em escritório (cada um de um lado), que voltamos a correr porque as academias estão fechadas mas os parques ainda não (podemos sair uma vez por dia para fazer exercício, apenas acompanhados um do outro e é claro sem nos aproximarmos de ninguém), que temos cerca de 15 rolos de papel higiênico (o que deve durar mais ou menos um mês), que estamos também bem abastecidos de comida (pelo menos por enquanto), mas não tem como não sair dia sim dia não pra comprar frutas e verduras frescas, e que é difícil pra caramba não comer chocolate o dia inteiro.

Quem diria que eu teria saudade de pegar o trem lotado e atrasado, e não tem nem uma semana que estamos nessa. A primavera começou e possivelmente não veremos os campos de bluebells e rapeseeds que vemos quando fazemos trilhas, e não colheremos o delicioso wild garlic que cresce como mato e é uma delícia pra fazer molho pesto.

Que tudo isso passe antes dos meus 40 anos, data que está planejada para acontecer em um hotel escolhido a dedo numa ilha grega. É só isso que eu tenho a falar pras pessoas do futuro.

0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta

Quando foi que me tornei essa pessoa?

janeiro 03, 2020 Helô Righetto 0 Comentários


Em um desses dias entre Natal e ano novo - quando temos a sorte de trabalhar em algum lugar que entra em recesso - estava afundada no sofa da sala procurando algo pra assistir na TV. Nao nao, nada de Netflix, nao queria ter que prestar atencao em legendas ou fazer qualquer tipo de esforco intelectual. Entao procurei na TV aberta mesmo, e a oferta era a de sempre: reality shows, seriados antigos, reprises de filmes ruins demais ate mesmo pro intelecto em recesso. Ate que me deparo com a transmissao do 'percurso de trem mais lindo do mundo, minuto a minuto'.

O programa era exatamente isso: algumas cameras fixadas em diferentes partes do trem (o percurso, a titulo de curiosidade, eh na Escocia) mostrando toda a paisagem pelo caminho e eventualmente a cabine do condutor (e do rapaz colocando carvao para gerar energia).

E nao eh que eu tenha pensado 'ah, ok, vou deixar isso de fundo ja que nao tem mais nada passando'. Nao, nao. Eu pensei: QUE COISA MARAVILHOSA TOMARA QUE ESSE PERCURSO TENHA UMAS 5 HORAS. Eu fiquei EMPOLGADA pra assistir o percurso de trem.

Essa, caros leitores, sou eu aos 39 anos e meio.

0 comentários:

Deixe seu comentário! E caso faça uma pergunta, volte para ver a resposta